Trocar Pastilhas de Freio em 5 Passos

Trocar Pastilhas de Freio em 5 Passos

Como trocar pastilhas de freio

Neste texto, vamos citar 5 passos para trocar pastilhas de freio, tomando em conta o que mais frequentemente se apresenta em nossa oficina.

Obviamente, as pinças de freio podem variar muito em modelos, tamanhos e estilos. Nossa intenção é apresentar um roteiro básico para nossos leitores, sem a pretensão de fechar esse assunto nessas poucas linhas.

Esses 5 passos para trocar pastilhas de freio representam alguns procedimentos básicos a serem realizados em quase todos os veículos.

São eles:

1) Verificar a espessura dos discos de freio:

Além do desgaste natural das pastilhas de freio, os discos de freio também se desgastam com o uso. Portanto, deve ser avaliada a espessura dos discos de freio. Cada modelo de disco tem uma espessura mínima recomendada pela montadora sob risco de manter-se a segurança do conjunto de freio. Essa espessura mínima pode ser verificada nos catálogos dos fabricantes de discos de freio e utilizando-se de um paquímetro.

Verificar espessura dos discos

Verificar espessura dos discos

2) Retornar o êmbolo da pinça de freio:

Existem ferramentas especiais para realizar este procedimento, mas pode-se utilizar apenas uma chave de fenda comum. Recomenda-se abrir o pino de sangria (parafuso sangrador) para que o fluido usado não retorne ao cilindro mestre ou ao módulo hidráulico do sistema ABS. O fluido de freio localizado nas pinças de freio pode estar contaminado e afetar o funcionamento dessas peças.

O êmbolo deve retornar suavemente e sem travas, caso contrário o carro pode ficar preso após a troca das pastilhas. Retorne o êmbolo ao máximo, para que as pastilhas novas possam entrar sem apresentar dificuldades para a remontagem.

Certifique-se também que não haja vazamentos de fluido nas pinças de freio, nem nas conexões dos conduítes flexíveis. Se houver precisam ser eliminados.

retornar embolo da pinça de freio

retornar embolo da pinça de freio

3) Verificar o estado dos canos ou conduítes flexíveis:

Os canos flexíveis, cujas extremidades se ligam às pinças de freio, permite a mobilidade necessária para o esterçamento das rodas sem afetar a eficiência dos freios.
Devem ser verificadas possíveis rachaduras ou ressecamentos, já que a ruptura de qualquer desse conduítes acarretaria na perda dos freios do carro.

4) Desaperto dos parafusos dos pinos guia e abertura da pinça:

Utiliza-se uma chave estriada ou uma chave allen para a realização dessa parte da troca das pastilhas de freio.
Muitas vezes é necessário apenas o desaperto do parafuso de baixo para retirar-se as pastilhas usadas. Observe se pode abrir a pinça e retirar as pastilhas apenas afrouxando e retirando este parafuso.

Verifique se os pinos deslizantes não estão emperrados, caso estejam será necessária a sua lubrificação.
Se houver alguma mola de fixação das pastilhas, esta deve ser retirada, para depois ser montada novamente já com as pastilhas novas instaladas.
Ao abrir-se a pinça, tome cuidado para não bambear as conexões dos conduítes flexíveis.

desaperto dos parafusos da pinça

desaperto dos parafusos da pinça

5) Bombar o pedal de freio até que este se firme novamente:

Logo após a execução de todo o procedimento de troca das pastilhas de freio é necessária bombar o freio para que as pastilhas encostem novamente na superfície dos discos de freio. Caso contrário os freios não funcionarão.
São comuns pequenos acidentes por conta do esquecimento desse pequeno detalhe.

 

Para mais informação sobre o assunto, ou qualquer tipo de auxílio de nossa equipe de mecânicos, entre em contato conosco através de nosso site.

Procurar peças